publicidade

Blog do Amaury Jr

Estudo aponta que vinho surgiu há 8 mil anos no Cáucaso

Publicada nesta segunda-feira pela revista científica “Proceedings of the National Academy of Sciences“, o vinho teria sido originado há cerca de 8 mil anos na Geórgia, região sul do Cáucaso.

O vinho teria sido criado há 8 mil anos atrás (Foto: Divulgação)

 

Situados a 50 quilômetros de Tbilisi, capital da Geórgia, oito jarros revelaram a presença de ácido tartárico, a assinatura química das uvas e do vinho.

Além do tartárico, a análise dos resíduos também revelou a presença de outros três ácidos – málico, succínico e cítrico – todos relacionados com a viticultura.

A análise dos resíduos encontrados nos jarros revelou a presença de ácido tartárico, a assinatura química das uvas e do vinho (Foto: Reprodução/ PNAS)

 

Após os arqueólogos desenterraram as cerâmicas neolíticas com resíduos da bebida, cientistas agora acreditam que o vinho teria sido criado quase mil anos antes do que se datava. Os indícios químicos mais antigos datavam de 5.400 a 5.000 anos antes da era cristã, nas montanhas de Zagros, no Irã.

“Nosso estudo sugere que a viticultura foi o principal elemento do modo de vida neolítico, que viu nascer a agricultura e se estendeu pelo Cáucaso”, declarou o arqueólogo Stephen Batiuk, do Centro de Arqueologia da Universidade de Toronto, no Canadá.

Segundo os pesquisadores, nessas sociedades antigas, beber e oferecer vinho fazia parte de quase todos os aspectos da vida:

“O vinho [era usado] como um remédio, uma substância que altera o espírito e inclusive como uma mercadoria de grande valor, se tornando um componente essencial dos cultos religiosos, da farmacopeia, da cozinha, da economia e da vida social em todo o Oriente Médio”, afirmou Batiuk.