publicidade

Blog do Amaury Jr

Bettie Page, a rainha das pin-ups, tem curiosidades reveladas em livro

(Foto: Divulgação)

 

Um dos maiores símbolos sexuais americanos do século XX, a ex-modelo e atriz Bettie Page foi a responsável por popularizar o termo ‘pin-up‘. Mesmo após sua morte, em 2008, ainda povoa o imaginário masculino – apesar de sua história ter sido marcada por tragédias pouco conhecidas, como conta o jornalista Richard Foster, em livro recém-lançado pela Editora Noir.

(Foto: Divulgação)

 

Seu nome de batismo era mesmo Bettie Page e foi com seus espartilhos de couro e renda, cinta-ligas, sapatos de saltos altíssimos e chicotes que ela brilhou com fotos eróticas, mesmo sem nunca ter estrelado um filme nas salas de cinema.

(Fotos: Reprodução)

 

Foram sete anos estampando cartões postais e páginas de revistas, até que, em 1957, foi obrigada a se aposentar para não ser presa após acusação de incitar a pornografia. Praticamente esquecida entre anos de 1960 e 1970, começou a ressurgir a partir da década de 1980 e teve sua consagração definitiva nos anos seguintes com a ajuda da internet, onde seu nome e imagem estão até hoje entre os mais buscados.

(Foto: Divulgação)

 

A biografia “Bettie Page”, além de revelar a trajetória de uma estrela singular, aborda os tormentos e agruras da ex-modelo, que foi abusada sexualmente pelo pai, teve casamentos turbulentos e fracassados e chegou a virar uma fanática religiosa. Mais: esses rumos tortuosos a enlouqueceram a ponto de esfaquear três pessoas em surtos psicóticos fazendo com que ela ficasse cerca de 12 anos trancafiada em manicômios. Quase uma aventura policial, não?

Fica a dica da leitura!

 

Leia também: