publicidade

Blog do Amaury Jr

Categoria : Política


Em São Paulo, Joesley Batista se refugia em apartamento do pai no Jardim Europa

Os moradores de um edifício de alto padrão no Jardim Europa têm cruzado na garagem com um morador discreto e cabisbaixo, sempre acompanhado de dois seguranças, no mínimo. É Joesley Batista, que precisou voltar ao Brasil para prestar depoimento sobre a venda de ações e compra de dólares nos dias que precederam a notícia sobre o acordo de delação.

Em vez de ficar com a família em sua casa no Jardim América, que anda cercada por jornalistas e curiosos, preferiu o apartamento do pai, mais seguro e tranquilo.

Para não ser reconhecido, Joesley tem evitado até o elevador.


Ao comentar manifestação neonazista em Charlottesville, Obama conquista tweet mais curtido da história

Foto: Reprodução/Twitter

 

Em resposta ao confronto entre neonazistas e manifestantes contrários durante um protesto na cidade de Charlottesville, na Virgínia, o ex-presidente Barack Obama publicou uma série de tweets no sábado (12) que viralizaram na Internet. O primeiro recebeu mais de 3,2 milhões de likes e mais de 1,3 milhão de retweets, conquistando o post de “tweet mais curtido da história”.

Acompanhado por uma foto sorrindo para quatro crianças em uma janela, o ex-presidente comentou: “Ninguém nasce odiando outra pessoa por causa da cor da pele, ou dos antecedentes, ou da religião”.

Na sequência, Obama continua citando o ex-presidente sul-africano Nelson Mandela: “As pessoas aprendem a odiar e, se aprendem a odiar, podem ser ensinadas a amar. O amor vem mais naturalmente ao coração humano do que o seu oposto”.

Foto: Reprodução/Twitter

 

Com o post, o ex-presidente bateu o recorde de Ariana Grande, com mais de 2,7 milhões de likes em seu tweet após o ataque terrorista em Manchester durante seu show em maio deste ano.


Jurado do ‘Bake Off Brasil’, Fabrizio Fasano solta o verbo sobre política, paternidade e hipocrisia

Fabrizio Fasano Jr. (Foto: Angelo Pastorello)

 

Era grande a expectativa em torno da estreia da terceira temporada do programa “Bake Off Brasil”, do SBT, que aconteceu nesse sábado (12). Não se sabia como o afastamento da apresentadora Ticiana Villas-Boas – por conta do envolvimento de seu marido, Joesley Batista, no escândalo de corrupção que atingiu o presidente – iria afetar a atração, que teve bom desempenho nas edições anteriores, garantindo o segundo lugar no horário.

Mas parece que o coração do programa está mesmo na bancada do juri, já que a estreia cravou 10 pontos de audiência – a média das temporadas anteriores. Mais especificamente, na persona do jurado mal-humorado, sincerão e por vezes indelicado “interpretado” por Fabrizio Fasano.

Sem nenhum preparo profissional na área, mas conhecedor das coisas boas da vida, Fabrizio usa essa experiência de glutão – ele chegou a pesar 170 quilos – para avaliar os preparos. Sem papas na língua, ele admite que tem um pouquinho de exagero nos comentários desfavoráveis. Mas afirma que não é um personagem: “Eu sou assim, sou conhecido por isso. Se quiser saber minha opinião sobre o que for, é só perguntar”. Parece que o tipo faz sucesso: “Sou o malvado favorito”.

Nesta entrevista, segue no estilo metralhadora giratória, não importa o assunto: corrupção, paternidade e a hipocrisia do brasileiro. Confira:

Blog do Amaury Jr.: Você não é chef e não tinha experiência nessa área até entrar para o “Bake Off”. Você se sente preparado para julgar?

Fabrizio Fasano: No “Bake Off” todo mundo sabe que não sou chef, sempre deixei claro. Defendo a tese de que teoricamente tive oportunidade de experimentar na minha visa coisas que muitos chefs não experimentaram. Não estou ali para dar minha avaliação técnica, e dizer se põe mais fermento ou menos fermento, mais farinha ou menos farinha, que é a função da confeiteira que está comigo, porque são dois jurados. Estou ali como uma pessoa que conhece as coisas e ponto.

Blog do Amaury Jr.: Um connoisseur?

Fabrizio Fasano: É. Eu sei te dizer se uma sobremesa é boa ou ruim, ate porque minha referencia é essa, né? Tô acostumado a comer bem a vida inteira. Eu faço várias receitas, mas não sou chef. Eu gosto, mas de cozinhar pra 6, 7 pessoas. Quer fazer um risoto pra 40 pessoas? Não, obrigado, vai ficar uma merda.

Blog do Amaury Jr.: Esse é o tipo de coisa que você fala para os participantes do programa. Você faz de propósito, ou é mal-humorado mesmo?

Fabrizio Fasano: Sou o malvado favorito. Eu sou assim, não existe ali um personagem. eu sou super crítico. Tem um leve exagero, um pouquinho sempre tem. Mas a princípio eu jamais vou falar pra você aquilo que não acho. Se quiser saber minha opinião sobre algo, é só perguntar. Meus filhos reclamam: “Porra pai, mas você só fala do que eu faço de errado!”. Não preciso ficar elogiando o que já faz certo. Presto muito mais atenção no que está errado do que no que está certo. E o programa, no final das contas, é pra isso, né?

Blog do Amaury Jr.: E faz sucesso…

Fabrizio Fasano: O público gosta. No começo, eles me odiaram. No começo, chamei um negócio de cocô de cavalo. Nossa, virou um agá minha vida… Foi o primeiro programa, eu estava morrendo de medo, não sabia de nada. Já tinha feito um programa de TV, mas não como jurado de um reality.

Blog do Amaury Jr.: Você já foi economista, publicitário, fotógrafo… Como acabou na TV?

Fabrizio Fasano: É uma poesia esse filme. Eu queria ser médico, não fui, aí trabalhei com meu pai, mas não era feliz, aí fui ser publicitário, era um saco, sou formado e tenho pós em economia. Quando tinha 30 anos, queria ir pra Nova York fazer o Actor’s Studio. O Ricardo van Steen ficava na minha orelha: “você tem que ser ator, você tem uma beleza diferente”. Aí ele me convidou pra fazer esse filme, “Noel, o Poeta da Vila”. Eu tava enorme, pesando 170 quilos – peso 115 hoje. Sempre tive essa veia artística. Trabalhei 12 anos em publicidade, fui um puta executivo de publicidade, viajava 240 dias por ano, ia fazer reunião em Bangkok de três horas e voltava, chegava no final do ano tinha 500 mil milhas pra gastar.

Blog do Amaury Jr.: E o que mudou?

Fabrizio Fasano: Ganhava um caminhão de dinheiro na época, mas aí meus filhos nasceram, eu não conseguia entender eles crescendo. Eu sempre fui um cara muito ligado a eles, mas não só na coisa do carinho, do amor, mas do ser pai. Estar presente, ensinar, participar da vida deles. Quero estar junto, quero ver crescer, quero ensinar a andar de bicicleta, a andar de patins. Tinha comprado um sítio em Sorocaba, levava às vezes um monte de criancinhas. Porque, por incrível que pareça, tem pais que estão cagando, né? Não veem a hora de levar embora. Então tinha amiguinho que ia quase todo fim de semana. Mas comecei a sentir muita falta disso. Chegou num ponto que ficava 10, 15 dias viajando. Um dia grudaram na perna e começaram: “Quando é que você volta? Por que demora tanto pra voltar?”. Naquele dia eu mudei, falei: “Não é isso que eu quero pra mim. Isso vai me deixar rico e infeliz”.

Blog do Amaury Jr.: E como está sendo fazer o programa sem a Ticiana? O que mudou pra vocês?

Fabrizio Fasano: É uma coisa que me entristece muito, porque adoro ela. Não mudou nada, praticamente. A Carol tá fazendo o trabalho dela superbem feito, a Beca, que assumiu o papel da Carol, tá fazendo um trabalho superbem feito. O programa é líder de audiência em 36 países, tá sendo feito de uma maneira primorosa pelo SBT.

Blog do Amaury Jr.: A que você credita esse sucesso?

Fabrizio Fasano: Talvez o mercado esteja mais carente, porque chef tem um monte, já virou moda. Todo mundo acha que ser chef é ser o Alex Atala. É uma puta vida de merda, os caras trabalham que nem um filha da puta, sábado, domingo, segunda, terça, quarta… Carregam peso, suam… mas é uma puta profissão.

Carol Fiorentino, Ticiana Villas Boas e Fabrizio Fasano Jr. (Foto: Reprodução Instagram)

Blog do Amaury Jr.: E os negócios da família, como vão?

Fabrizio Fasano: Esse mercado de alto luxo brasileiro, de serviço, tá passando por uma fase bem difícil. Pessoas que vinham quatro vezes por mês passaram a vir duas, quem vinha duas vem uma. O Rio de Janeiro acabou [a rede Fasano abriu em 2014 seu primeiro hotel no Rio]. Tem um monte de coisa lá e um monte de coisa aqui. O que você ganha aqui você perde lá, é um problema.

Blog do Amaury Jr.: Como vê a situação econômica atual?

Fabrizio Fasano: O Brasil é um país quase milagroso. Mesmo com esse monte de merda acontecendo, a economia ainda dá sinais de que quer melhorar. Mas temos uma classe política que não dá nem pra falar… Hoje eu estava num programa, falei que político ladrão virou redundância, porque não existe um que não seja. E os caras ficaram me olhando, porque o dono deve ser o mais. Acho o Brasil de uma hipocrisia…

Blog do Amaury Jr.: Por que exatamente?

Fabrizio Fasano: Vamos pegar um caso típico, o Joesley Batista. 90% das pessoas que vejo meterem o pau nele são menos competentes do que ele, porque roubaram, são ladroes – se bem que ele não roubou, ele foi corruptor, é diferente -, mas foram tão corruptos quanto ele e não conseguiram fazer o dinheiro que ele fez. As grandes fortunas desse país, nenhuma foi feita à base da cartilha, da Bíblia, nenhuma. E fica todo mundo sentando o pau [no Joesley]. Agora, se ele tivesse pego o telefone e ligado pra uma meia dúzia deles uma semana antes de sair a delação, e esses caras tivessem vendido ou comprado dólar e tivessem ganho bilhões, ele ia ser deus pra todo mundo. O cara não paga pensão da mulher, fura fila, pega vaga de idoso, e só porque não ganhou dinheiro, acha que pode.

Blog do Amaury Jr.: As pessoas justificam os pequenos atos de corrupção com a falta de justiça do país, ou com o fato de que todo mundo faz…

Fabrizio Fasano: Olha, vou falar uma coisa… Meu pai trabalhava à noite, minha mãe ia pra fazenda com meus irmãos mais cedo e eu ficava esperando ele, e ia dirigindo o carro dele. Com 14, 15 anos, pegava a Castelo Branco. Quantas e quantas vezes ele não desceu do carro pra comprar guarda? Eu tenho certeza absoluta de que ele jamais pensou que estava me dando um exemplo de corrupção. Eu passei minha vida corrompendo guarda na estrada. Eu era amigo dos caras, mandava garrafa de uísque pra eles e viajava a 250 por hora. Vou ser hipócrita e dizer que se, há 20 anos, meu pai tivesse tido a oportunidade, porque conheceu eu um filha da puta de um presidente da república que sentou na frente dele e disse: “Sou o cara mais corrupto do mundo, se você me arrumar dinheiro eu dou o que você quiser”, ele ia falar não?

Blog do Amaury Jr.: E você, ia falar o quê?

Fabrizio Fasano: Eu provavelmente ia falar sim. Porque naquela época ninguém sabia desse risco. Mas hoje é diferente! Se a gente quer mudar o país… Eu não tô falando que tá certo! Não tô falando que concordo, e que as coisas têm que continuar assim. Se ele [Joesley] não tivesse feito isso há 15 anos, que já era uma empresa grande – ele faturava R$ 4 [bilhões] e hoje fatura cento e não sei quanto, alguém ia ter feito! Vamos combinar que não só esse mercado, como o de commodities, é uma baixaria generalizada. É assim que ele foi criado, que o pai dele foi criado, que o avô dele foi criado. Tá certo? Não, tá tudo errado! Mas daí pra ele virar o bandido número 1? E isso me chateia por causa da Tici, que acabou entrando no processo. É marido dela, é pai do filho dela, acho que tá com toda razão, vai falar o quê? “Ai, não sabia, vai à merda”? Ela provavelmente não sabia de muita coisa, ninguém sabia, nem a agenda do Temer sabia!

Blog do Amaury Jr.: E qual a sua posição política?

Fabrizio Fasano: Sempre fui apolítico. Pega um Collor de Mello, que já foi impitimado, e volta a ser senador, caralho! Esse cara há cinco anos tinha um puta poder de novo. José Sarney! Dá até pra entender, porque era aquela coisa do coronelismo, mas o tempo foi passando, a internet chegou. É isso que me deixa irritado. Somos um paisinho de merda. Como a Venezuela, que tá pagando por ter eleito o cara não sei quantas vezes. O mundo tá passando por um processo também, você vê um Trump ganhar uma eleição, é uma coisa chocante. Mas vamos combinar que, por pior que esse Trump seja, ele jamais vai ser um vigésimo do escroto que foi esse Lula.

Blog do Amaury Jr.: Por quê?

Fabrizio Fasano: Porque ele teve todo o poder na mão, todo o dinheiro, teve toda a chace de fazer desse país um país de primeiro mundo, e literalmente destruiu essa merda. Na base do populismo, de manter o poder. Se tivesse feito as coisas certas, estaria no poder até hoje. Você já viu essa Gleisi falando? Defendendo o Maduro? Não é possível, essa mulher tem que ser presa.

Blog do Amaury Jr.: Não precisa ir até a Venezuela…

Fabrizio Fasano: Quem tem dúvida de que [o presidente Nicolas Maduro] é um escroto? Já provou que é um imbecil incompetente. Não é que não sou um cara político, e acho que sou errado nisso. O bacana de você estar na mídia é poder ajudar naquilo que você fala, naquilo que você traduz, nas pessoas que você entrevista. Você vai formando opinião na cabeça das pessoas. Quando falo alguma coisa, as pessoas me ouvem. Óbvio que não sou nenhum Luciano Huck, nenhum Faustão, mas é a minha maneira de ajudar, que que eu posso fazer?

 


Em primeira entrevista pós-Seleção, Dunga rebate Renan Calheiros: “Desafio ele a aparecer na Av. Paulista comigo. Quero ver quem é mais respeitado”

Dunga estreia o novo set do Programa Amaury Jr. (Foto: Arquivo blog)

 

Em entrevista exclusiva ao Programa Amaury Jr., o ex-técnico da Seleção, Dunga, que estava recolhido há tempos, rebateu o ex-presidente do Congresso Nacional, Renan Calheiros, que comparou a gestão atual do governo à “Seleção do Dunga”, e acrescentou que os brasileiros querem hoje a “Seleção do Tite”. Dunga foi categórico: “Oportunismo dele. Só tenho pena, não mágoa. Ele não nos representa”. E completou: “Desafio ele a aparecer na Avenida Paulista comigo. Quero ver quem é mais respeitado.” Sobre o trabalho do então treinador da Seleção, Tite, elogiou: “Está tendo ótimos resultados.”

Comentou também a transferência bilionária de Neymar para o Paris Saint German: “Ele fez bem. Neymar é muito competitivo e sabe que se quer ser eleito o melhor do mundo, tem que ser o destaque do time. No Barcelona sempre vai ter o Messi. No PSG, não. Ele é quem vai comandar.”

O ex-técnico falou ainda do fatídico 7 a 1 contra a Alemanha: “Foi coisa de uma vez na vida. O brasileiro não acreditava no que estava vendo, mas os alemães também não. O emocional coletivo do time não estava legal.”

Negou ter qualquer plano de entrar para a política: “Já fui convidado, mas não passa pela minha cabeça. Faço minha parte com trabalhos sociais.”

Confessou que acha que o Brasil “está chato. Imagina as letras dos Mamonas Assassinas hoje em dia? Ia ser um terror. Não se pode falar mais nada.”

Sobre o convite de times chineses, Dunga disse que “não é a hora. Não quero me mudar pra China. Meu filho mais novo, Matheus, está com 10 anos. Está naquela fase de ter uma turma de amigos. Não cabe a mim fazer ele se mudar de país agora.”

A entrevista completa, que estreia nosso novo estúdio, vai ao ar na semana que vem, na RedeTv!


Rainha Elizabeth II escolhe sucessores do trono inglês. Saiba quem são!

A monarca de 91 anos já sabe quem vai ocupar seu lugar no trono inglês (Foto: Reprodução Instagram)

 

Primeiro nome na lista de sucessores, Príncipe Charles, de 68 anos, não será o próximo rei do Reino Unido. Segundo a revista “Life & Style”, a Rainha Elizabeth II teria nomeado oficialmente seu neto, o príncipe William, e a duquesa de Cambridge, Kate Middleton, como os próximos reis da Inglaterra.

“Ela passou 65 anos tentando garantir que o Castelo de Windsor sobrevivesse e percebeu que o William e a Kate têm a energia e a qualificação necessária para desempenhar essa função no mundo moderno”, afirmou uma fonte próxima à monarca.

A publicação ainda afirma que a esposa de Charles, Camilla Parker Bowles, adorou a escolha, no entanto, a relação entre o príncipe e seu filho mais velho tem estado tensa desde a decisão.

“Com todos os escândalos que têm envolvido a família real nas últimas décadas, Elisabeth tem noção que a monarquia já não tem o respeito e o poder que detinha anteriormente. Aos olhos dela, o William e a Kate são as únicas duas pessoas que podem reverter essa situação”, relevou outra fonte.


Papel higiênico com tweets de Donald Trump esgotam na Amazon

O produto está esgotado no site da Amazon (Foto: Divulgação)

 

Quinto produto mais vendido da categoria “brinquedos para pegadinhas”, o papel higiênico com tweets de Donald Trump está esgotado no site da Amazon.

Fabricado pela companhia Toilet Tweets, o item é descrito pela fabricante como um “papel higiênico de folhas duplas contendo 10 tuítes de Donald Trump que nós achamos que devem ir para a privada”, e custa US$ 11,99 – cerca de R$ 37.

Entre as frases, clássicos como “O colégio eleitoral é um desastre para a democracia”, de 2012. Ou este de 2014: “É possível pedir o impeachment de um presidente por incompetência grosseira?”.

A nova leva do produto voltará a ser vendida no site a partir do próximo de 16 de agosto.


Para amenizar rombo, Theatro Municipal de SP corta 25% dos salários do corpo artístico

A situação do Theatro Municipal de São Paulo está cada vez mais complicada, rescaldo do imbrolio causado por desvios milionários da gestão anterior – o rombo é estimado em R$ 20 milhões.

Para amenizar o estrago, a Secretaria de Cultura propôs um corte temporário de 25% dos salários de todo o corpo artístico – balé, orquestra, cantores e diretoria, num total de 279 pessoas -, nos meses de setembro e outubro. Na negociação inicial, seriam 30%.

A Secretaria calcula que irá economizar  cerca de R$ 3 milhões, o que vai ajudar a diminuir o déficit nas contas.

Em contrapartida, a secretaria se comprometeu a não fazer demissões até março de 2018, e a devolver o valor descontado até o final do ano que vem.


Barack e Michelle Obama são convidados para casamento de eleitores e respondem com carta fofa

O casal respondeu o convite de casamentos dos eleitores (Foto: Reprodução Instagram)

 

Convidados para o casamento de uma americana em março, Michelle e Barack Obama surpreenderam a família de Liz Whitlow ao responder o pedido em carta.

Brooke Allen, sua filha, publicou em seu Twitter o ato de gentileza do ex-presidente e de sua esposa: “Minha mãe maravilhosa enviou um convite de casamento para os Obama em março e acabou de receber esta carta resposta. Estou berrando”, escreveu.

Na mensagem, Michelle e Obama parabenizaram e desejaram felicidades pela união: “Parabéns pelo casamento. Esperamos que ele seja abençoado com amor, riso e felicidade e que seu vínculo cresça mais forte com cada ano que passa. Esta ocasião marca o início de uma parceria ao longo da vida e, ao embarcar nesta jornada, tenha o nosso voto de muitas alegrias e aventuras futuras.”


João Doria Jr. vai fazer um check-up completo neste sábado

Foto: Divulgação

 

João Doria Jr. é um fenômeno, e deveria ser estudado pelo Instituto do Sono. Dorme apenas três horas por noite, e tem uma saúde de ferro – mas não se descuida nunca.

Neste sábado, encontrou um tempo finalmente para um check-up completo, com Roberto Kalil, no Sírio Libanês – mas só no final do dia, para não atrapalhar os vários compromissos da tarde.

 


Ticiana Villas Boas quer engravidar do segundo filho durante ‘ano sabático’

Ticiana Villas Boas e Joesley Batista (Foto: Reprodução Instagram)

 

Enquanto o marido, Joesley Batista, voltava a Nova York para buscar documentos das contas “Lula” e “Dilma” no J.P. Morgan, Ticiana Villas Boas ficou em São Paulo, e aproveitou para passar no cabeleireiro. Lá, contou aos presentes que pretende engravidar do segundo filho durante esse “ano sabático”. Ela e Joesley são pais de Joesley Filho, de 2 anos.

Ticiana, que é contratada do SBT e apresentava os reality shows “Bake Off Brasil – Mão Na Massa” e “Duelo de mães”, pediu afastamento da emissora depois de receber ameaças por conta da delação de Joesley que abalou o governo de Michel Temer.