Topo
Blog do Amaury Jr.

Blog do Amaury Jr.

Por que Bibi Ferreira amava o teatro e rejeitava as novelas

Amaury Jr.

2013-02-20T19:15:43

13/02/2019 15h43

Bibi Ferreira

 

[Por Bruno Meier]

"Teatro é a minha sobrevivência" era uma frase corriqueira de Bibi Ferreira. O palco era seu lugar, seja atuando ou cantando. A televisão, no entanto, teve importância na sua carreira apenas na apresentação. Nos anos 1960, ela comandava um programa de entrevistas aos domingos no canal 9, na TV Excelsior. Destacava-se sua desenvoltura e o repertório de idiomas – Bibi mandava bem em espanhol, inglês e francês. Mas Bibi rejeitava as novelas. Por três motivos principais: por ter de acordar cedo, pelos estúdios de TV ficarem longe da sua casa e por não se achar fotogênica. Ela fez essa afirmação em entrevista a Amaury Jr., em 2012, enquanto divulgava o musical " Bibi, histórias e canções " que passou por SP, Rio, Portugal e NY.

Bibi Ferreira morreu no início da tarde de hoje, aos 96 anos, após sofrer uma parada cardíaca. Atriz, cantora, compositora e diretora, ela estava em sua casa, no Flamengo, quando passou mal. "Foi um infarto fulminante. Ela estava muito idosa, foi muito rápido. Foi sem sofrimento, graças a Deus. Ela tinha uma saúde de ferro, chegou a hora dela", disse ao UOL a neta Claudia Ferreira Gonzalez Lima.

Assista a entrevista com a Bibi:

Sobre os autores

Amaury Jr.

É jornalista e apresentador de TV. É o mais conhecido colunista social do Brasil e considerado o criador do colunismo social eletrônico no país, onde mantém um programa de TV há 37 anos ininterruptos.

Bruno Meier

Começou no jornalismo pela revista Veja. Foi repórter de cultura e editor-titular da coluna Gente, espaço semanal focado na cobertura de personalidades e celebridades no Brasil e mundo. É autor do livro "A Vida É uma Festa", sobre Amaury, e editor-chefe deste blog. E-mail: bruno@amauryjr.com.br

Sobre o blog

Notícias, bastidores e informações exclusivas sobre quem é assunto no showbiz, na cultura, na política, nos negócios e em todas as rodas sociais.

Para completar, temos flashbacks da carreira de Amaury Jr, retirados de um precioso arquivo que documenta expressivamente a evolução da sociedade brasileira.