publicidade

Blog do Amaury Jr

Fátima Bernardes: do casamento da “Minnie e o Mickey da TV” à liberdade aos 56 anos

O anúncio, direto e formal, aconteceu em junho de 2017: “Em respeito aos amigos e fãs que conquistamos nos últimos 26 anos, decidimos comunicar que estamos nos separando”. Um minuto depois, a mensagem seguia: “Continuamos amigos, admiradores do trabalho um do outro e pais orgulhosos de três jovens incríveis”. Por fim, a conclusão: “É tudo o que temos a declarar sobre o assunto. Agradecemos a compreensão, o carinho e o respeito de sempre”.

Divulgado simultaneamente em dois perfis na rede social Twitter, o texto era absolutamente idêntico, a não ser por um detalhe: a assinatura. No perfil do marido, o nome da mulher antecedia o dele, um sinal de elegante deferência e uma maneira de não deixar dúvida de que o tom era absolutamente consensual. No dela, o nome dele vinha antes, com o mesmo efeito.

Foi nesses termos que William Bonner e Fátima Bernardes chegavam a um ponto final em um relacionamento que fez parte do dia a dia de milhões de telespectadores por mais de duas décadas.

 Do casal que, para usar uma definição usada por Fátima certa vez, eram “o Mickey e Minnie da TV brasileira”, Fátima mudou, cresceu, rejuvenesceu.

Bonner foi o primeiro a aparecer acompanhado, onze meses depois do anúncio do término de seu casamento: o jornalista e a fisioterapeuta Natasha Dantas apareciam juntos numa mesa de canto num restaurante pacato no bairro carioca do Horto. Nessa fase, Fátima fazia uma declaração, a primeira delas, dizendo o período de luto, após 26 anos de casados, acabou — mas não sabe quando vai se interessar por alguém.

Foi Fátima conhecer o pernambucano Tulio Gadelha, 30, que tudo mudou. As notícias em torno do novo relacionamento se tornaram cada vez mais frequentes, seja pela exposição e legendas apaixonadas via redes sociais até a diferença de 25 anos de idade do casal.

A exibição, às vezes exaustiva, em redes sociais aconteceu de forma natural. “Resolvi me apoderar do meu momento e dizer o seguinte: o que quero mostrar da minha vida são essas fotos, nesses lugares. Você não vai me ver postando foto em restaurante, com um superprato. Vai me ver fazendo coisas que têm a ver com o que eu acredito ser a essência do que estou vivendo”, contou a apresentadora para o jornal O Globo.

Desde que apareceram, cada um com seu respectivo, o ex-casal viver numa espécie de reality show. “Saudável é viver a própria vida”, escreveu William Bonner no Instagram, dias depois da divulgação das fotos de sua ex, Fátima Bernardes, com o novo namorado. Bonner espetou ainda quem vai às redes só para comentar a vida alheia: “O simples fato de o bem-estar dessas pessoas ser tão afetado pelos caminhos que os outros escolheram pra si é um indicativo de que elas precisam de ajuda”.

Na noite deste domingo, 16, Fátima ganhou uma festa surpresa organizada pelo namorado, amigos e familiares. Durante um jantar com a mesa cheia, Tulio  surpreendeu a jornalista chegando com um bolo de aniversário, com direito a velinha. “E eu que pensei que nem ia comemorar, ganhei essa surpresa linda! Já comecei bem meu novo ano. Amei!”

 

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

E eu que pensei que nem ia comemorar ganhei essa surpresa linda! Já comecei bem meu novo ano. Amei!

Uma publicação compartilhada por Fátima Bernardes (@fatimabernardes) em


Dias Lopes celebra 50 anos de jornalismo

Dias Lopes com amigos: 50 anos de labuta no jornalismo

Aconteceu no último sábado os festejos dos 50 anos de jornalismo de Dias Lopes, referência no jornalismo, sobretudo no jornalismo gastronômico. Atualmente, Dias é diretor da revista Gosto e é titular de um blog de gastronomia em Veja.com

No menu, chitarra na manteiga e sálvia, lasagne alla ferrarese gratinada (no ragu de três carnes), leitão à pururuca. Para beber, champagne Drappier Carte D’or Brut e vinho português Quinta da Vegia.

O evento aconteceu no restaurante Felice e Maria e reuniu 50 convidados jornalistas e chefes.

Fábio Altman, redator-chefe da revista Veja; Carmo Chagas, jornalista; Pedro Cavalcante, jornalista; Adriana Dias Lopes, editora de saúde de Veja

O jornalista e escritor Dias Lopes

José Alencar de Souza, dono do Santo Colomba; Ronnie Von e Massimo Ferrari (dono do restaurante Felice e Maria)


Leandro Karnal: “Minissaia nunca estuprou uma mulher”

Leandro Karnal para Amaury Jr: “A alegria do outro nos incomoda” (Foto: arquivo blog)

 

Violência, política, feminismo, morte, amor e comportamento narcisista nas redes sociais. São vários os assuntos que Leandro Karnal, o historiador e professor pop (e haja popularidade: só no Facebook, Karnal é seguido por 1,4 milhão de seguidores), falou ao apresentador Amaury Jr.

A entrevista completa vai ao ar hoje, às 23h30, na Band.

O blog destacou alguns trechos da conversa realizada no recém-adquirido apartamento de Karnal nos Jardins, em São Paulo:

 

O perigo das redes sociais

“Nós somos humanos e a alegria do outro nos incomoda. A  internet se transformou numa imensa vitrine de inveja coletiva, no qual eu sou levado a crer que todos levam vidas interessantes e a minha não é tão interessante assim”

Vaidade nas redes sociais 

“Do ponto de vista teórico psicanalítico, a gente pode pensar de duas formas. A primeira pode ser que as pessoas estejam muito narcisistas e por isso falam tanto de si. Mas posso também pensar que elas estão tão enfraquecidas no seu narciso que precisam que os outros digam se a vida delas é válida. Há a necessidade de reforço externo”

Felicidade

“Felicidade é comparação. É uma percepção de um momento. Nunca foi e nunca será um ato permanente”

A propaganda da felicidade permanente

“O que hoje é particularmente terrível é a propaganda da felicidade, porque ela tem que ser permanente. Então, você posta foto da sua família linda, das suas férias perfeitas, das suas refeições extraordinárias e esquece que você tem o dia-a-dia no quilo e que seu casamento tem altos e baixos. Então, vou acreditando que o sentido da vida é a propaganda permanente da felicidade e esqueço que a dor é o que dá sentido à felicidade. Ter perdido meu pai ano passado e minha mãe em 2010 fez com que hoje eu valorizasse muito mais as pessoas que estão próximas a mim. A dor, a perda e o luto me tornaram uma pessoa melhor”

Inveja

“Inveja é tristeza pela felicidade alheia. Não existe inveja branca. Inveja branca é só racismo. Só existe inveja negativa”

Fama

“A fama é algo que reforça o ato do mérito. Alexandre, O Grande conquistou o império persa e é famoso. O que existe hoje é que a fama dispensa o mérito. Ela existe independente da ação. A fama é o objetivo em si. Um exemplo cômico: estou em um avião, a mulher do meu lado pede para tirar foto e eu digo: ‘claro, a senhora gosta da minha obra’?. Ao que ela diz: ‘não sei quem é o senhor, mas está todo mundo tirando foto!’ Ou seja, não importa quem eu sou e o que eu fiz, mas se os outros do avião estão dizendo que sou importante, ela tem de fazer o registro”

Política

“Nós continuamos achando que a grande questão é direita, esquerda, centro. O Brasil começou sua Guerra Fria há poucos anos, particularmente em 2013. Corrupção é ambidestra. Ladrões de esquerda, ladrões de direita”

 

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Leandro Karnal, hoje, 23h30, na Band. #BlogdoAmauryJr

Uma publicação compartilhada por Blog do Amaury Jr. (@blogdoamauryjr) em

 

Feminismo

”O discurso masculino construiu a culpa do feminino a sedução. Mini-saia nunca estuprou uma mulher. Biquíni nunca estuprou uma mulher. Quem estupra são homens”

“Masculino transforma tudo que é do feminino em fragilidade. Se os homens invertessem isso e, por exemplo, menstruassem, eles disputariam como sinal de masculinidade isso: ‘eu menstruo meio litro’, ‘eu um litro e meio’, ‘eu já menstruei dois litros sem tirar de dentro”

Consciência das mulheres

“As mulheres sempre sofreram violência. Isso é histórico, documentado. Só que agora criamos a consciência, enfim, de que isso é errado. E estamos indo atrás dos agressores que são, na maior parte das vezes, seus companheiros. Isso é terrível. Agora aumentou? Não. A Lei Maria da Penha, as delegacias da mulher e a sensibilidade quanto à violência sobre o feminino na luta contra a misoginia trouxe à tona esse feminicídio constante”.

Haters

“Ser exposto ao público é virar para-raio de todo espécie de sentimento. É impossível fazer sucesso sem odiadores profissionais.”

Amor e paixão

“Paixão é uma infecção passageira curável automaticamente pelo tempo. É uma doença que o tempo contém seu próprio antibiótico. Paixão é uma perversão do amor, porque ela faz com que você veja seu entusiasmo, seu hormônio e sua cegueira como dirigida ao outro. Amor pressupõe anos de relação. Acrescentaria uma longa viagem e um período de uma semana ao lado da família dela/dele.  Se sobreviver a isso, existe a chance dessa paixão começar a dar o primeiro passo para intimidade, confiança, cotidiano”

Pós-paixão

“Quando cai o véu da paixão, você passa a ver a outra pessoa. Apaixonado você não vê. É simplesmente seduzido pelo seu jogo de testosterona ou progesterona”

 

 


Cármen Lúcia faz mistério sobre destino de férias

Depois de ter passado a presidência do STF para Dias Toffoli, na tarde de ontem, a ministra Cármen Lucia reservou uma semana de folga na agenda e vai viajar para fora do país.

Discreta, não informou o destino nem mesmo para a equipe de seu gabinete, em Brasília. “Ela não me disse nada”, diz Emília Santos, do gabinete, ao blog.


Em despedida antes de tratamento, Leo Dias chora e emociona elenco de Fofocalizando. “Rezem por mim”

Leo chora e diz: “Eu sou a ovelha negra” | Foto: Reprodução

 

Foi uma verdadeira choradeira os minutos finais da edição do Fofocalizando nesta sexta-feira.

Antes de encerrar o programa, o jornalista Leo Dias começou a chorar e afirmou aos colegas do programa vespertino do SBT que “toda família tem uma ovelha negra”. “Eu não faço parte da família do SBT. Aqui todo mundo é tão certinho, mas toda família tem uma ovelha negra. Eu sou a ovelha negra”, afirmou.

Ao ouvir essa definição “ovelha negra”, integrantes começaram a chorar e a retrucar com a cabeça negativa. Mamma Bruschetta foi a primeira a confortar o jornalista: “A gente sabe que vai ser difícil. A gente reza todos os dias para Deus, para Buda, para todos os Orixás. Que você enfrente isso que está devastando você. Nós estamos com você”.

Leão Lobo tomou a palavra: “Você faz parte, sim, dessa família. A gente não abre mão de você. O que faz mal é essa porcaria que você vai se livrar agora”.

Lívia Andrade também falou: “A gente está emocionado, porque se ama, porque você faz parte do SBT e dessa família”.

Na próxima segunda-feira (17), Leo se internará em uma clínica no interior de São Paulo para iniciar a luta contra o vício em cocaína. O vício começou na Austrália em 2001, quando morou no país. Ele vai se submeter a uma terapia baseada na ibogaína, uma substância psicodélica que causa alucinações fortíssimas, mas tem eficiência no combate à dependência de cocaína, crack, álcool e maconha.

A edição de “despedida” de Leo Dias provavelmente foi a maior audiência da história do Fofocalizando, segundo dados prévios do Ibope na Grande São Paulo: a atração bateu a Globo durante oito minutos e marcou 8,2 pontos de média nesta sexta-feira (14).

Leo finalizou: “Eu não posso viver uma vida de mentira, eu tenho que viver uma vida digna e de verdade. Peço que vocês rezem por mim. Eu vou ali e já volto”.

Nós, do blog, reforçamos o que seus colegas disseram à tarde: “Nós estamos com você”. Força!


Namorada de Chiquinho Scarpa reclama de perseguição com diferença de idade: “Incomoda”

Chiquinho Scarpa e Luana Risério: 32 anos de diferença. E daí?

 

Luana Risério reclamou da repercussão sobre a diferença de idade dela e o novo namorado, Chiquinho Scarpa. Há duas semanas, em sites de notícias, dizia-se que a diferença era de 43 anos. “Incomodou bastante. Achei que denegriu. Gosto de ser verdadeira e franca”, disse Luana ao jornalista Bruno Meier na festa de aniversário do diretor Wolf Maya, em São Paulo.

A nova namorada de Chiquinho corrigiu a idade. Na verdade, ela tem 35 anos.

A confusão iniciou-se quando, no programa de Amaury Jr., exibido no último sábado na Band, o apresentador perguntou a idade da nova eleita. Chiquinho deu a entender que seria 25 anos. No mesmo dia, na casa de Wolf Maya, ele insistiu: “Ela tem o rosto de 15 anos. Dando 25, eu acho ótimo”

Chiquinho fez ontem 67 anos. Portanto, o casal tem 32 anos de diferença.

O novo casal da praça tem uma história curiosa sobre como se conheceram: Luana foi atrás de Chiquinho assim que soube que ele estava solteiro:

“Eu conhecia o Chiquinho há quatro anos, mas ambos namoravam. Um dia, vi no programa do Amaury que ele estava solteiro e procurando uma namorada. Pensei ”eba!”, é minha chance. E me candidatei. Mas houve uma conquista. Ele fez um charminho.”


Leticia Colin escolhe look transparente para evento em São Paulo

Foto: Manuela Scarpa/Brazil News

 

Leticia Colin, a Rosa de Segundo Sol, conseguiu uma brecha nas gravações da novela das nove para estar na noite desta quinta, 13, no evento de lançamento da edição de setembro da revista Harper’s Bazaar, que rolou na flagship da Ellus, no bairro dos Jardins, em São Paulo.

A atriz, que namora Michel Melamed, caprichou na produção: toda de preto, escolheu uma blusa com leve transparência, shorts e bota alta envernizada. Ainda finalizou o look com batom vermelho poderoso.

O Dj Zé Pedro animou a festa.

 

Foto: Manuela Scarpa/Brazil News


Antonio Calloni para viver Roger Abdelmassih: “Abri minhas gavetas e tirei a maldade”

Por Bruno Meier

Antonio Calloni como Roger Sadala, o Abdelmassih da Globo: “um homem que “adoeceu” com o tamanho do poder que teve nas mãos e virou um criminoso”. Foto: Globo / Ramón Vasconcelos

 

Em agosto de 2017, Antonio Calloni recebeu uma ligação de Monica Albuquerque, executiva artística da Globo, que lhe falou do difícil papel que lhe reservaram: viver Roger Abdelmassih em Assédio, série sobre os crimes do médico condenado a 181 anos de prisão por abusar sexualmente de pacientes. Assédio é inspirada no livro A clínica — A farsa e os crimes de Roger Abdelmassih, de Vicente Vilardaga, lançado em 2016.

Em sua primeira entrevista sobre o personagem, o ator conta como construiu o médico. “Abri minhas gavetas internas e tirei a perversão, a maldade, a bondade, o amor… Ele amava profundamente (e a sua maneira) a família. Mas tornou-se um criminoso pelas más escolhas que teve”, diz. “Roger é um homem que “adoeceu” com o tamanho do poder que teve nas mãos e virou um criminoso”.

Hoje com 74 anos, Abdelmassih já foi considerado um dos principais especialistas em reprodução humana no Brasil. Em novembro de 2010, ele foi condenado a 278 anos de reclusão. No ano seguinte, teve seu registro profissional cassado pelo Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp). Após passar três anos foragido, o ex-médico foi preso no Paraguai em agosto de 2014. Em outubro daquele ano, sua pena foi reduzida para 181 anos, 11 meses e 12 dias, por decisão judicial.

A série Assédio terá sua estreia em 21 de setembro, apenas para assinantes do serviço de streaming da Globo, o GloboPlay. Ainda não há previsão de lançamento na Globo.  Escrita por Maria Camargo e dirigida por Amora Mautner, a série tem chances de ser uma das obras mais fortes e violentas dos últimos tempos.

A seguir, a entrevista de Antonio Calloni sobre o tema e seu novo personagem, Roger Sadala (para evitar processos, a Globo decidiu não usar o sobrenome do original).

 

Antes de receber o convite para viver Roger Abdelmassih, quais eram suas impressões dele?

Antes e depois do convite, as impressões continuam as mesmas: um homem que “adoeceu” com o tamanho do poder que teve nas mãos e virou um criminoso. 

Qual sua reflexão sobre o personagem e a motivação para seus crimes?

O instinto venceu a cultura. O desequilíbrio venceu o equilíbrio. A libido descontrolada aliada ao poder de gerar a vida, fizeram de um grande médico, um criminoso.

 Como construiu seu Roger? 

Vi vários, incontáveis, vídeos do Roger (real) falando. Conversei e visitei o consultório e os laboratórios do Dr. Dale – Clínica Dale no RJ – Ginecologia, Medicina da Reprodução e obstetrícia. Mas a principal fonte foi o texto da Maria Camargo, muito bem escrito. O personagem é livremente inspirado no médico real. É importante ressaltar que é uma obra de ficção e não um documentário.

 Qual foi a cena mais difícil de fazer?

TODAS! Eu acreditei o tempo inteiro nele. Imagine como isso é difícil! E eu acreditei. Acreditei para torná-lo real. Acho que consegui.

 O que mudou do tema assédio para você com a série e por que crê que se fala muito mais do tema nos últimos anos?

A série, Assédio, é entretenimento feito com muita responsabilidade, ética e bom gosto. Vai gerar debate e envolver o público numa história de suspense, dor, amor e muita luta. O tema aflorou nos últimos anos, principalmente, mas não exclusivamente, por causa do amadurecimento, empoderamento, coragem e maturidade das mulheres. 

 Como você crê que este personagem ficará marcado na sua carreira?  

Espero que esse personagem contribua para o debate e seja lembrado como um trabalho artístico feito com muita dedicação e responsabilidade. Nada que é humano me é estranho, temos todas as possibilidades dentro da gente. Somos capazes de tudo. Os que têm a sorte de poder escolher, e fazem boas escolhas, escolhem fazer o bem (que é mais fácil e gera mais prazer). Os que fazem escolhas ruins, mais cedo ou mais tarde, pagam por isso. Para fazer o personagem, abri minhas gavetas internas e tirei a perversão, a maldade, a bondade, o amor… ele amava profundamente (e a sua maneira) a família. Mas tornou-se um criminoso pelas más escolhas que teve. Assim é a vida…


Quem são os 9 homens mais ricos do Brasil; Lemann segue na liderança com 105 bilhões

A revista Forbes divulgou nesta quinta-feira a lista dos maiores bilionários brasileiros. A edição confirma Jorge Paulo Lemann como o homem mais rico do Brasil pelo sexto ano consecutivo – o empresário voltou a ultrapassar a marca dos 100 bilhões de reais de patrimônio.

Abaixo, os nove mais ricos do Brasil:

1. Jorge Paulo Lemann

Sua riqueza vem de grupos como a Anheuser-Busch InBev, holding que controla a cervejaria Ambev, a Kraft Heinz, dona do ketchup Heinz, e do Restaurant Brands International, proprietário do Burger King

Fortuna: R$ 105,96 bilhões
Fortuna em 2017: R$ 95,39 bilhões
Idade: 78 anos
Nascimento: RJ

2. Joseph Safra

Joseph Safra é um banqueiro e empresário libanês, naturalizado brasileiro, fundador do Banco Safra. É considerado o segundo homem mais rico do Brasil e o 37º do mundo.
Fortuna: R$ 75,73 bilhões
Fortuna em 2017: R$ 71,17 bilhões
Idade: 79 anos
Nascimento: Líbano – naturalizado brasileiro

3. Marcel Herrmann Telles

Parceiro empresarial de Jorge Paulo Lemann há quatro décadas, Telles teve sua fortuna encorpada na mesma proporção dos sócios no último ano, principalmente por conta da participação na Anheuser- Busch Inbev, holding que controla a cervejaria Ambev.
Fortuna: R$ 54,12 bilhões
Fortuna em 2017: R$ 47,76 bilhões
Idade: 68 anos
Nascimento: RJ

4. Eduardo Saverin

Eduardo Luiz Saverin é um investidor anjo e empreendedor da internet brasileiro. É um dos cinco cofundadores do Facebook, juntamente com Mark Zuckerberg, Dustin Moskovitz, Chris Hughes e Andrew McCollum
Fortuna: R$ 45,97 bilhões
Fortuna em 2017: R$ 29,34 bilhões
Idade: 36 anos
Nascimento: SP

5. Carlos Alberto da Veiga Sicupira

Também conhecido como Beto Sicupira, o empresário também é um dos controladores da Anheuser-Busch InBev, holding que controla a cervejaria Ambev e presidente do conselho da Lojas Americanas.
Fortuna: R$ 44 bilhões
Fortuna em 2017: R$ 40,75 bilhões
Idade: 68 anos
Nascimento: RJ

6. Pedro Moreira Salles

Filhos do banqueiro Walther Moreira Salles, os quatro irmãos (Fernando, João, Pedro e Walter) são grandes acionistas do Itaú Unibanco e da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), maior produtora mundial de nióbio de ferro. Apenas dois atuam nos negócios da família: Pedro, como presidente do conselho de administração do banco Itaú Unibanco, e Fernando, como conselheiro. Os outros três irmãos ficam empatados em sétimo lugar da lista.

Fortuna: R$ 15,80 bilhões
Fortuna em 2017: R$ 8,80 bilhões
Idade: 58 anos
Nascimento: RJ

7. João Moreira Salles

Fortuna: R$ 15,60 bilhões
Fortuna em 2017: R$ 8,80 bilhões
Idade: 56 anos
Nascimento: RJ

8. Walter Moreira Salles Júnior

Walter-Moreira-Salles

Fortuna: R$ 15,60 bilhões
Fortuna em 2017: R$ 8,80 bilhões
Idade: 62 anos
Nascimento: RJ

9. Fernando Roberto Moreira Salles

Fortuna: R$ 15,60 bilhões
Fortuna em 2017: R$ 8,80 bilhões
Idade: 72 anos
Nascimento: RJ


Reunião de Ciro com artistas teve papo sobre TV e regulação do streaming, além de Caetano cantando “Tempos Modernos”

Por Bruno Meier

 

Mariza Leão, produtora de cinema, abriu ontem seu apartamento em Ipanema para reunir artistas em torno de Ciro Gomes, presidenciável do PDT. “Foi um encontro afetuoso e, principalmente, motivador”, resumiu Leão ao blog.

O encontro reuniu nomes como Caetano Veloso, Marcelo Adnet, Debora Bloch, Vladimir Brichta e Tico Santa Cruz. Ciro esteve acompanhado da namorada, Giselle Bezerra, e ficou aproximadamente quatro horas no evento, saindo do prédio às 11 da noite.

Perto da saída de Ciro da sala de Mariza, Tico Santa Cruz puxou a música “Tempos Modernos”, de Lulu Santos. Ciro e Caetano ao lado seguiram o coro que animou os presentes (assista o vídeo abaixo).

Patricia Pillar, ex-mulher de Ciro, ajudou a organizar o encontro ao lado de Mariza. Mariza foi colaboradora do programa de governo do candidato quando ele disputou a eleição presidencial em 2002.

Ao blog, Mariza Leão contou do encontro:

Como foi?

Foi um encontro afetuoso e principalmente motivador para quem está preocupado com os rumos do país. Um encontro onde ele pode falar de forma direta e franca o que pensa e quais seus projetos, caso seja eleito.

Quais questões – e áreas (cinema, teatro, museus, etc) – relativas à cultura foram abordadas e quais foram as respostas do presidenciável? Houve alguma promessa?

Não nos detemos sobre nenhuma demanda específica mas falamos no âmbito do audiovisual a que o próximo governo terá que renovar a lei de de cota de tela, a lei do audiovisual, além de enfrentar a regulação do VOD, dentre outras. Falamos muito sobre identidade nacional, e da relação entre cultura e soberania nacional.

Como ficaria o futuro Ministério da Cultural num eventual governo Ciro? Aliás, teria esse ministério?

Não falamos sobre isso. Falamos sobre economia, educação, correlação de forças políticas e principalmente sobre como enfrentar os movimentos obscurantistas que crescem de forma preocupante. Não foi uma reunião de demandas mas sim de comunhão de idéias e projetos.