PUBLICIDADE
Topo

Me and myself

Da Redação

25/05/2020 19h41

A impressão que a gente tem, é que quando tudo voltar ao normal, não estaremos mais vivendo a era do egocentrismo. Pelo menos é o que se percebe, passeando pela internet, onde as pessoas parecem mostrar menos vaidade e mais consciência. As redes sociais são movidas a selfies, virou uma obsessão mostrar a sua "felicidade",  precisam permanentemente estar conectadas com os outros a ponto de perder a conexão consigo próprias. Ficam agoniadas quando estão fora de alcance.

Tomara mesmo que as coisas mudem porque este egocentrismo tem efeitos colaterais. Tiram tantas fotos de si próprias que acabam vivendo de frente para o espelho  e  de  costas para  o  mundo.   É  o  grito dos  desesperados,   só   sabem viver  em voz alta,  a era do        "cá estou" , fale de mim, se não fizerem isto entro em depressão. E haja saco para manter a pose.

O que se vê é uma modificação desse estado de coisas, embora timidamente.

Ninguém condena a pessoa que deseja exaltar os seus êxitos, anunciar seus projetos, oferecer reflexões construtivas ou mesmo comemorar aspectos familiares que lhe são gratos.

O duro é aguentar o egocentrismo, o post que não interessa a ninguém.

 

 

Sobre o autor

Amaury Jr. é jornalista e apresentador de TV. É o mais conhecido colunista social do Brasil e considerado o criador do colunismo social eletrônico no país, onde mantém um programa de TV há 39 anos ininterruptos.

Sobre o blog

O blog traz notícias, bastidores e informações exclusivas sobre quem é assunto no showbiz, na cultura, na política, nos negócios e em todas as rodas sociais.

E-mail: contato@amauryjr.com.br

Amaury Jr.