PUBLICIDADE
Topo

Meghan e Harry - Finding Freedom

Da Redação

03/08/2020 18h04

 

Finding Freedom – o livro que conta a história da renúncia do príncipe Harry e Meghan escrito pelos jornalistas Carolyn Durand e Omid Scobie e editado pela Harper Collins será posto à venda no dia 11 de agosto e já lidera a lista dos pedidos da Amazon.

Na Inglaterra, a imprensa diz que o livro mostra o casal como crianças mimadas, ansiosas  para serem os protagonistas do noticiário real.

O casal diz ter feito todo o possível para impedir o livro mas, no Reino Unido, comenta-se que, ao contrário, eles até colaboraram.

O livro já teve alguns capítulos divulgados e parece estar repleto de detalhes e anedotas íntimas e  que seria impossível os autores divulgarem sem  permissões. Eles afirmam que conversaram com mais de 100 fontes e, entre elas, um círculo de amigos muito próximo ao casal.

Todos estes preâmbulos estão provocando um incômodo ao Palácio de Buckingham que acredita ser o livro um ajuste de contas contra vários membros da realeza.

Finding Freedom narra como surgiu o romance e revela detalhes íntimos dos primeiros encontros do casal em um bar do Soho e, depois, em um restaurante de frutos do mar em outra parte de Londres. Segundo os amigos mais próximos, ambos se encantaram, deslumbrados um com o outro e o romance avançou rápido. E foi Harry que disse  "te amo" primeiro enquanto ela teria confessado a amigos próximos que "a relação tinha futuro".

Quando a imprensa descobriu a história feliz, algumas pessoas mais chegadas começaram  questionar as intençōes de Meghan,   se ela de verdade seria considerada a "indicada" e isto a Harry  pareceu racista o que o fez terminar com amizades de anos .

Mas, o que mais  o indignou, foi o que ocorreu com seu irmão William, a quem ele havia dado todo  apoio quando a corte questionava seu romance com Kate Middleton. No encontro de Harry com William, este teria dito:"Não se apresse, tome o tempo que necessitas para conhecer melhor esta mulher."

O conselho de seu irmão mais velho foi considerado por Harry um insulto, principalmente por William ter se referido a Meghan pela expressão  "esta mulher"  o que Harry considerou clássica e esnobe. Considera-se que este foi o ponto de inflexão que abalou para sempre a relação entre os irmãos.

Ainda, segundo o livro, William estava preocupado  que seu irmão estavivesse apenas envolvido e cego pela luxúria.

Os amigos do casal acusam que a corte de Buckingham depreciava Meghan em suas consideraçōes e se referiam a ela como "Showgirl de Harry" , comentando em voz baixa, "há algo com ela que gera desconfiança". E mais adiante, quando a imprensa começou a mostrar Meghan  uma mulher caprichosa e voluntariosa, dava  a entender porque  o palácio não a aprovava.

Outro rumor descrito no livro  é referente à decepção de Meghan com Kate Middleton. Ao contrário que se noticiava nos jornais elas nunca se falaram . Apesar  que, Meghan acreditava que como ela havia passado pelo mesmo processo de integração à família real, seria recebida de braços pela cunhada e se converteria em sua grande amiga dentro do palácio. Nada disso aconteceu, se tratavam de forma cordial, mas num relacionamento frio e distante, não tendo nada em comum. Seus raros encontros eram recheados de silêncios incômodos  em eventos oficiais .

Tudo isso fez o novo casal se sentir menosprezado assim como suas expectativas serem mais altas no rol da realeza. Outro motivo, segundo o livro, a popularidade do casal começou a incomodar a família, pois poderia eclipsar a própria monarquia.

 

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do BOL

Sobre o autor

Amaury Jr. é jornalista e apresentador de TV. É o mais conhecido colunista social do Brasil e considerado o criador do colunismo social eletrônico no país, onde mantém um programa de TV há 39 anos ininterruptos.

Sobre o blog

O blog traz notícias, bastidores e informações exclusivas sobre quem é assunto no showbiz, na cultura, na política, nos negócios e em todas as rodas sociais.

E-mail: contato@amauryjr.com.br

Amaury Jr.